Violência(s) contra a Mulher

São várias. A agressão física é apenas uma delas, existem outras bem sutis.

Quando um homem se sente por baixo por ganhar menos do que a sua mulher ela a fere, é como se dissesse: “Você não pode ganhar mais do que o macho”.

Quando um homem diz que vai lavar a louça “para” sua mulher ele a violenta, é o mesmo que dizer: “A responsabilidade é sua, estou te dando apenas uma forcinha”.

Quando uma mãe cria a menina para ser santa e o menino para ser garanhão, ela a faz ser reprimida e facilmente manipulada pelos homens.

Quando o homem se sente “cabeça” do lar, ele está deixando Jesus de lado, o que o Mestre queria (e quer) é que nos ajudemos mutualmente e Ele seja o nosso guia!

Quando um homem diz para sua mulher a roupa que ela deve vestir, ingenuamente ele pensa que é dono dela e se esquece que ela não pertence a ninguém.

Quando ela veste uma roupa sensual, eles pensam: “Está doida para …”. A violenta fazendo e achando dela o que se pensa de uma “coisa”.

Quando querem estar sozinhas, a julgam como sendo “mal-resolvida”.

São muitas as violências, inúmeras gerações em que vão se perpetuando. Minha esperança é que lendo o Evangelho, nós homens percebamos o valor que o Mestre deu às mulheres.

Ele morreu por todos, mas foi a elas que Ele apareceu primeiro depois de haver ressuscitado!!

Nascido de mulher
André Luiz

Niterói, 27/10/2015