Teologizando via Morgan Freeman

E como vamos nos livrar do racismo?
Morgan Freeman responde: Parando de falar sobre isso!
 Nós “crentes” reclamamos muito sobre a forma como somos tratados. Damos muita importância a toda e qualquer ofensa proferida contra nós ou contra nossa fé. Nem parecemos crer que o “mundo” não é nossa última morada. Damos a impressão de que estamos esquecidos do quanto é passageira a nossa existência terrena.
Ficamos tristes por “pequenas coisas” que não são relevantes, já que temos “Boas Novas” num mundo de pouca ou nenhuma novidade. Ainda sentimos muito, coisas que não fazem o menor sentido para um povo que diz que vai morar no céu. Perdemos a paciência, “fervemos em pouca água”, ignorando assim, a presença do Consolador Espírito Santo.
 Paremos de falar, sobre assuntos tolos. Paremos de falar sobre nós mesmos. Paremos de falar uns contra os outros. Paremos de falar dos que pensam diferente de nós.
  Lembremos que somos todos, obra máxima do Criador, todos humanos, todos imperfeitos, todos alvos do amor de Cristo.
  O hegemônico é sutil, se somos de Deus não é preciso alarde e nem rancor contra os que porventura nos perseguem (por vezes, são coisas da nossa cabeça). Quem precisa dizer ou explicar que é… Nunca foi!
   Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer. I Co 1:10

  Sejamos o amor
Andre Luiz

 Lisboa, 17/12/12

Às Sete Igrejas do Apocalipse

As cartas às Igrejas no Apocalipse nos deixam sete mensagens principais.
Sete conselhos para agradarmos ao Senhor.
Em Éfeso somos aconselhados a um constante arrependimento seguido de um retorno ao primeiro amor se lá não estivermos. Esse retorno precisa ser diário já que a nossa tendência é a de nos afastarmos dele.Não é papo apenas para quem está afastado. 
Em Esmirna identificamos que a Igreja que agrada à Deus é sofrida e provada mas não sucumbe à provação.O templo pode não ser o mais suntuoso e as pessoas não tem que ser cheias de posses e possessas pela teologia da prosperidade (aguilhoada neles!) O Pai aprova suas atitudes, são ricos em Deus, caminham rumo à coroa incorruptível. 
Pérgamo mostra o perigo de certos “casamentos” uniões com um mundo que dilui a mensagem, altera o sabor, mistura o que precisa ser puro, querem ser globais, querem ser mundiais até mesmo universais, mas não querem ser só de Cristo, querem ser noiva mas não querem ser imaculadas, com essas Ele não vai casar, não tem óleo na candeia, não enxergam o olhar de reprovação do noivo diante de tanta confusão que praticam ao tentar construir babel, não tem fundamento Nele que é Pedra Angular. Em Pérgamo assistimos uma Igreja que dá as mãos para o diabo em troca de audiência achando que está fazendo um favor para o Evangelho.
Em Tiatira somos advertidos contra os maus ensinos, eu vos pergunto: Por quê sair da Palavra?. Em Sardes uns poucos dela não se contaminaram, portanto não se deixe levar pela maioria ela pode estar contaminada, não queremos ser maioria sem ser de Jesus primeiro. Não há como ser Brasil evangélico sem Evangelho.
Em Filadélfia Ele mostra o que Ele gosta numa Igreja: A Sua Palavra guardado no coração e manifesta em atitudes somada a um amor intranhável entre os irmãos.
E em Laodicéia vemos o que ele mais odeia: que sejamos mornos. Nosso auto-engano acha que morno é a temperatura ideal. Confundimos o que achamos que é equilibrado com apatia. Não nos esqueçamos: Ele sabe o que é morno, não adianta falar em línguas e achar que está quente e nem julgue que não pular é ser frio. Somos livre Nele. Ele sabe o que se passa lá dentro de nós.
Há que Igreja você pertence? Não estou perguntando se você é batista ou assembleiano. Estou me referindo a que postura você tem diante de Deus. Como se apresentará Naquele dia? Os comportamentos vistos nas sete igrejas do Apocalipse se repetem. Aonde você se encontra nisto tudo?
Com temor
André Luiz
Lisboa, 22/12/11

Fé e Má Fé

A Fé que nos aliena se volta contra nós. Quando não é libertadora, a Fé oprime sutilmente.

A “Fé” de alguns é má fé, é para fazer de palhaços os que são da Fé.. Peço desculpas ao palhaço que leva tão a sério nos fazer rir..

Se continuarmos com os “evangélicos” que temos no governo, jamais seremos um país sério.

Um país cheio de problemas não pode se dar ao luxo de pular pautas reais, para lançar pautas morais..

Nada pode ser tão imoral quanto o fundamentalismo religioso.

“Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça alimentando os pombos”.

A verdadeira Fé liberta
André Luiz

Niterói, 06/10/17

O Culto dos Signos

 

“Hoje é um excelente dia para novas amizades, mas cuidado, nem tudo é o que parece”.

Quando não refletimos sobre a realidade que nos cerca, nós crentes nos tornamos mais parecidos com a leitura do horóscopo do que protestantes.

Nada contra quem curte horóscopo, é que não tem nada a ver com ser protestante.

A luta contra nossas fraquezas, contra as desigualdades sociais e a busca pela intimidade com Deus já são temas que nos ocupam e nos aprofundam tanto Nele que não sobra tempo para as superficialidades tão queridas por tantos.

Águas das vida apenas pelos artelhos.

500 anos da Reforma vindo aí. Ainda há tempo.

Na Terapia de Cristo
André Luiz

Niterói, 10/10/17

Precisamos chegar juntos

Todos querem fazer pra Deus, mas não querem fazer juntos..

Muitos alegam saber qual é a vontade de Deus, porém, uma vontade que não inclui o outro..

Não creio num Deus egoísta, só consigo vê-lo no partir do pão, com todos os seus filhos reunidos à mesa. .

Não conheço o Jesus da guerra, apenas o Príncipe da Paz.

Desacredito daqueles que só contam vitórias e não têm humildade para falar das suas fraquezas.

Importa chegar, mas juntos!

Na Terapia de Cristo
André Luiz

Niterói, 11/10/17

Aos Crentes da Dispersão

Somos tribo, principalmente fora do templo
Aliás, o Tabernáculo vai andando, não fica parado jamais..

Somos portadores de Boas Notícias, viemos pregar a Paz. Sem dogmas, pensando e deixando pensar..

Somos Contracultura, não seguimos o fluxo do mal. Pra nós toda terra é fértil quando as sementes são sabedoria. Não nossa, mas que Deus dá generosamente a quem peça.

Não somos daqui, somos de lá. De todo lugar. “Toda Terra está cheia da Sua Glória”.

Somos gente incômoda, que não se acomoda. Que prega: “Venha sobre nós o Teu reino”.

Não “Veja” Reveja
André Luiz

Niterói, 12/10/17

Uma árvore de corações

Uma Árvore de corações. Quando estamos plantados junto ao ribeiro das águas tranquilas ela surge.

Se o Espírito Santo está em nós, seu mover é gerador de vidas. Não são números, são corações, uma árvore de corações.

Minha alegria é no chão da vida contemplar a todo instante essa árvore cujo fruto não é dinheiro, não é poder e nem soberba. Seu fruto é gente de carne e osso em que o Espírito Santo habita.

A Igreja é uma árvore de corações.

André Luiz

Niterói, 05/07/17

Vamos Barulhar!

 

Não estava na agenda, dessas boas experiências da vida que não se marcam, crianças e juvenis tocando percussão no Horto do Barreto. Um lindo barulho! Em suas camisas estampado o rosto de líderes negro de renome: Luther King, Mandela e Zumbi dos Palmares.

Quem serão os homenageados no futuro? Numa sociedade em que todos estão correndo em torno de si mesmos, quem vai escrever a História?

A bancada evangélica deveria ter outro nome. É na verdade a Grande “Mancada” Evangélica.

Estamos de olho! Vamos todos, no mesmo ritmo, cada um no seu instrumento, seguindo a direção do Maestro da Vida, Criador do Som, Pai das Luzes de onde vem todo dom que há, que dissipa as trevas.

Vamos Barulhar até que toda Terra Seja cheia da Sua Glória e seja varrida de toda vergonha!

André Luiz

Niterói, 15/07/17

500 Anos da Reforma

Que venha a calma sobre mim. Preciso respirar.. Estou correndo perigo.

500 Anos da Reforma e ainda está tudo por fazer..

Ainda se vendem indulgências, ainda se compram pessoas. Os evangélicos são um desastre na política, nunca conheceram o Evangelho..

Ainda não se entende Paulo Freire, os crentes não sabem quem foi Lutero.

A Televisão nos dá a visão de que estamos diante de uma tragédia..

A Bíblia está cheia de passagens com a expressão “Não Temer” mas a gente não aprende.

Sou Protestante e digo mais, se eu fosse dono do Paraíso e o Crivella, Feliciano e outros iguais batessem na minha porta eu lhes diria: “Não vos conheço”.

Ainda há tempo para uma Reforma.

André Luiz

Niterói, 02/08/2017

A lição das formigas

A lição das formigas é que elas não precisam de chefe para serem ordeiras.

Mais do que líderes, somos carentes de uma consciência. Líderes são desnecessários quando há no meio do povo, consciência.

Claro. Consigo compreender que dá mais ibope convocar à liderança do que ao serviço.

O Evangelho é por natureza gerador de consciência. Nele não há exageros, mas, equilíbrio.

A Fé Cristã não produz “mandões”, mas aprendentes que não param de aprender a servir.

Tô aí pra servir
André Luiz

Niterói, 04/08/2017