Os lobos do Natal

Natal é tempo de luzes e de lobos..

A Euforia pode nos roubar a sensatez e a gente não vai enxergar onde estão os lobos..

Natal também é tempo de passar pelas coisas e não poder comprar, sentir vontade de possuir tudo o que está sendo oferecido sem termos dinheiro.. Tenhamos cuidado!!

Queremos a casa cheia pra podermos falar das nossas últimas aquisições, sutilmente impor que os nossos filhos são melhores do que os filhos dos outros..

Lobos que roubam a luz de Jesus, lobos que tornam essa época perigosa, aliás você queria as coisas de um jeito, mas será contrariado pela realidade..

Que a Luz do Nascimento de Jesus te faça enxergar os lobos..

Brilha Jesus
André Luiz

Treino “completo” em 30 minutos

Passando por aí, vi uma tabuleta com os seguintes dizeres: “Treino completo em 30 minutos”. Pensei duas coisas. Será que bastam apenas 30 minutos? Mas também tive que admitir que talvez percamos muito tempo com muita coisa, sem irmos direto ao assunto. Será que eles desenvolveram um método em que aproveita-se melhor o tempo de um treino?

  Acho que existe quem pense, que bastam 30 minutos para ser excelente no que quer que seja, mas também, aqueles que desperdiçam tempo em coisas que não edificam ou resistem, irem direto ao assunto. Será que um bom esposo é aquele que dedica-se a sua esposa apenas “30 minutos”? Outrossim, será que deixar de fazer o principal, o que é mais importante, para fazer outras muitas coisas secundárias, irá resultar?
  Fiquemos todos avisados: A satisfação e o entusiasmo vêm de dentro, e não moram conosco apenas “30 minutos”. A excelência e a eficiência não residem em gente atrapalhada, que “fazem tudo e não fazem nada”.
  Jesus deu a vida por nós e não somente “30 minutos”, ouve o clamor do Seu povo em todo o tempo. De igual modo, foi exemplo na gestão do tempo. Cumpriu sua missão redentora, sem deixar nada por fazer e sem fazer nada que não apontasse para o seu propósito na Terra.
Faça por inteiro e não perca tempo!

 

Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.
Efésios 5:16

Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça.
Eclesiastes 9:8

Te dou a minha vida inteira,
E quero servir-te em todo o tempo
Andre Luiz

Lisboa, 24/09/12

Fazendo as chaves no sapateiro?

Precisava fazer uma cópia de uma chave. Andei às voltas procurando um chaveiro que pudesse resolver o meu problema. Dias se passaram e eu ouvi a mesma resposta repetidas vezes: “Não fazemos essa chave” “Talvez somente fulano a faça”.
No início não acreditei que só “fulano” poderia fazer. A teimosia fez-me andar um pouco mais. Em vão. Fui ouvindo casa vez mais a mesma resposta:”Só fulano”, pode ajudar você.
Até que um dia eu tive que passar pela porta dele, entrei e sem muita expectativa perguntei mais uma vez: “Vocês fazem essa chave aqui”? A resposta dele, foi de quem responde a alguma coisa que julgue óbvia: Claro! E eu que adoro conversar, comentei: “Fui a tantos lugares e não encontrei”? E ele rebateu: “Talvez você estivesse procurando fazer uma chave num sapateiro”! E eu sentindo-me derrotado por aquela excelente observação, só consegui dizer:”É verdade”!
Quantas vezes a gente na vida procura as coisas nos lugares errados. Já sabemos que não vamos encontrar, por quê insistimos tanto? Queremos fazer uma chave, mas, procuramos um sapateiro. Sabemos que Jesus é a própria chave para a paz interior, sabemos que Ele tem as respostas que precisamos ouvir, e que ninguém tem, mas, julgamos os amigos, a família, colegas de trabalho, porque talvez gostaríamos que eles tivessem as respostas. Até que um dia a vida “empurra-nos” e nós reconhecemos que precisamos Dele, nos rendemos ante à soberania Dele, frente à vida (Ele venceu a morte), e paramos de procurar quem não pode resolver o nosso problema.
Não fiquei sabendo o nome da pessoa que me atendeu, talvez ele nunca saiba o quanto foi importante para mim. Não deixe de falar aquilo que edifica, pode ser que ajude alguém a encontrar “o verdadeiro chaveiro”!

Ele é a própria chave
André Luiz

Lisboa, 29/09/12

Não posso mudar tudo, mas posso mudar muito

  Não posso mudar tudo, mas posso mudar muito. Posso fazer pequenas mudanças e com elas fazer a “maior” diferença. Não precisa ser tudo de uma vez, há um sabor especial quando as coisas acontecem pouco a pouco. Não preciso trocar as janelas, que tal mudar os cortinados? Não é preciso trocar a cama, um novo lençol criará um novo ambiente. Uma corrida de cavalos em que o vencedor alcança a vitória com uma ligeira diferença do que vinha atrás. Em pouco tempo ninguém se lembra do segundo lugar, somente do primeiro, aquele que ganhou com um “focinho” de diferença!
  Uma conversa que poderia ser totalmente diferente se dissesse: “Perdoe-me”, O dia de alguém que poderíamos ter mudado se disséssemos: “Como você está bonita hoje”! Um prego na parede para pendurar as chaves que andam sempre perdidas, cinco minutos de leitura do livro comprado e esquecido na mesinha de cabeceira. Um breve telefonema para alguém que não vemos há muito tempo. Sei lá, não custa assim tanto!
  Pequenas mudanças. Fulano é tão bom, só falta mudar “nisso”, é que ele exagera um pouco “naquilo”. Tanto esforço, empreendendo tantas coisas, tanto sacrifício, poucos resultados. Calma! Não é preciso que aconteça tudo ao mesmo tempo. Um passo após outro. Uma caminhada, uma jornada. Uma missão, um firme propósito. A convicção de que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. 

Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.
Salmos 127:2

Nada como um dia após o outro
André Luiz

Lisboa, 01/10/2017

Iuuupii!

  Quem não se lembra de ter brincado na infância, daquela brincadeira em que o pai joga o filho pra cima e depois volta a pegá-lo, beijá-lo e abraçá-lo? Num misto de amor e confiança, pai e filho se desfrutam, aproximam-se. Sem contar aquele frio na barriga da criança, mesmo sabendo que o pai vai acudi-lo, não consegue evitar aquela característica sensação.
 Os anos se passam, o meu pai já não consegue fazer essa brincadeira comigo, aliás seria uma brincadeira de péssimo gosto com ele rsrs. A gostosa brincadeira, dá lugar a novas emoções, novos desafios, novas realidades. A confiança e o amor continuam, agora nuançados por outras circunstâncias. O “iuupi” fica na lembrança de quem um dia foi criança nos braços do papai.
  Acontece é que com Ele, com o Pai celestial, a “brincadeira” continua! Ele me joga pra cima, eu penso que vou cair, mas Ele sempre me abraça, não deixa de me colocar no colo, nunca nega um “beijo”. Às vezes insisto em desconfiar, me pego teimando sobre tudo o que Ele me diz, talvez perdendo o melhor da Fé, que é gritar “iuupi” crendo e confiando que Ele sabe o que está fazendo.
Te amo Deus
E não estou de brincadeira
André Luiz
Lisboa, 17/10/12

Desencontros e Desencantos

  Uma forma bem direta de Deus demonstrar que Ele é soberano na minha vida são os “desencontros” dela. Pensar que eu quero encontrar alguém, planejar esse encontro e ele ao final não acontecer, faz-me perceber e “cair na real” que eu não mando em nada na minha vida! rs
  Vivemos os encantos das possibilidades dos encontros na vida, mas é fosca a nossa visão de que Deus também fala nos desencantos causados pelos desencontros. As coisas não acontecem como a gente quer não porque Deus faz birra ou quer revelar sua força, mas principalmente o seu amor.
  Ficamos encantados com a chance de alguns encontros, ficamos ansiosos, o coração bate mais acelerado, ficamos como que cegos, mas o “dono da vida” promove os desencontros que ao fim e ao cabo sempre nos levam a encontrá-lo. Desencantos de quem sabe que alguns “encantos” são para nos derrubar! Coisinhas desse nosso coração que de bom amigo é um excelente enganador.
  Ai meu Deus! Preciso te agradecer pelos desencontros, por tudo que eu marquei na minha agenda, mas não estava marcado na Sua. Por todo desencanto, que não deve ser celebrado com pranto e nem causar espanto, pois é Deus amando a sua criação, é Deus nos encontrando. Esse é o verdadeiro encanto da vida!
 Fica pra próxima amigo
 Fica pra quando Ele quiser
 André Luiz
Niterói, 18/12/12

Teologizando via Morgan Freeman

E como vamos nos livrar do racismo?
Morgan Freeman responde: Parando de falar sobre isso!
 Nós “crentes” reclamamos muito sobre a forma como somos tratados. Damos muita importância a toda e qualquer ofensa proferida contra nós ou contra nossa fé. Nem parecemos crer que o “mundo” não é nossa última morada. Damos a impressão de que estamos esquecidos do quanto é passageira a nossa existência terrena.
Ficamos tristes por “pequenas coisas” que não são relevantes, já que temos “Boas Novas” num mundo de pouca ou nenhuma novidade. Ainda sentimos muito, coisas que não fazem o menor sentido para um povo que diz que vai morar no céu. Perdemos a paciência, “fervemos em pouca água”, ignorando assim, a presença do Consolador Espírito Santo.
 Paremos de falar, sobre assuntos tolos. Paremos de falar sobre nós mesmos. Paremos de falar uns contra os outros. Paremos de falar dos que pensam diferente de nós.
  Lembremos que somos todos, obra máxima do Criador, todos humanos, todos imperfeitos, todos alvos do amor de Cristo.
  O hegemônico é sutil, se somos de Deus não é preciso alarde e nem rancor contra os que porventura nos perseguem (por vezes, são coisas da nossa cabeça). Quem precisa dizer ou explicar que é… Nunca foi!
   Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer. I Co 1:10

  Sejamos o amor
Andre Luiz

 Lisboa, 17/12/12

Caverna do Dragão

  Quando eu era criança assistia um desenho animado chamado Caverna do Dragão, não sei como assistia um desenho daqueles, se assistisse hoje teria medo!
  Mas o que eu lembro é que eles nunca conseguiam sair do mundo da fantasia e voltarem para realidade. Estavam como que presos a um pesadelo e quando estava prestes a acabar, voltavam ao estado anterior. Que loucura!
  Mas sabe que existe gente assim? Não despertam do pesadelo, parecem que vivem no mundo da fantasia. Gente que fica cativa do passado, das loucuras que só existem no mundo imaginário que elas criam em suas próprias mentes. Essa turma fala, fala, fala, todavia, sobre coisas que sequer existem, maquinações que refletem o grau de alienação em que se encontram.
  Tudo é difícil, tudo é muito complicado, nada vale a pena, somos sempre vítimas, quando entendemos as coisas segundo o diagnóstico doentio de quem está enfermo da alma.
  Infelizmente as doenças da alma “pegam” gente boa também, gente como eu e você. Todo dia é dia de cura, todo dia é dia de tratamento. Como estamos julgando as coisas? Estamos sãos o suficiente para olhar para vida e enxergar o que é de fato? Será que não estamos exagerando?
 Se a vida é difícil, nós a complicamos um bocadinho!
Assim, cheguei a esta conclusão: Deus fez os homens justos, mas eles foram em busca de muitas intrigas. Eclesiastes 7:29
Sem intrigas,
André Luiz
Lisboa, 28/12/12

Arte fora de foco

Falam tanto de foco que fico tonto. Tens que ter foco, tens que focar. Me sinto uma foca.
As coisas mais incríveis que me aconteceram não foram fruto do foco, foram fruto da arte. Dás-me uma oportunidade de explicar?
Os livros de auto-ajuda dizem que você tem que “focar”, dizem ser preciso fazer declarações positivas, dizem que o “segredo” está na força do pensamento. Não é nada disso.
As coisas mais lindas que existem são fruto da arte de amar. Amor de um homem por uma mulher (fazemos coisas impensáveis),  amor de um pai por um filho (não poupamos esforços),
As coisas mais espetaculares foram realizadas quando talvez ninguém estivesse vendo, talvez você não estivesse sendo pago para fazer… frutos da arte de amar.
A arte de amar faz com que a gente viva um dia de cada vez, sem exageros, sem passar por cima das pessoas, voando além dos obstáculos, sem barganhas, sem vãs sutilezas. Viver não é foco, é arte!
Eu o amo, mas Ele me amou primeiro!

Amar por Amor
André Luiz
Terapia de Cristo

 Lisboa, 11/12/2012

Perguntar e Responder

  Toda pergunta merece resposta? Todas as respostas que damos, respondem às perguntas que nos fazem? Será que eu respondo apenas porque você me perguntou, e por isso dou-te uma resposta que não responde nada e a ninguém?
  Mas, por que será que as pessoas fazem tantas perguntas? Estão mesmo dispostas a pensarem nas respostas que recebem? Ou serão apenas surtos de curiosidade?
Você já percebeu que muita gente pergunta, mas nunca responde?
Acho mal quando alguém me pergunta e não quer ouvir a resposta. Existem pequenas perguntas sobre as quais precisaria de horas para responder, e quem pergunta diz em tom imperativo: “Fala logo”.
Nem todas as perguntas, perguntam, nem todas as respostas, respondem. Vivemos numa espécie de “teatrinho infantil”, temos as frases na ponta da língua. Temos a opção de motivar as pessoas, mas preferimos fazer muitas perguntas. Temos a opção de respeitar as pessoas, mas preferimos cobrar que nos respondam, sendo que podemos sobreviver sem a maioria das respostas às perguntas que fazemos.
Pergunte menos, ame mais, não tenha tanta pressa em responder, analise melhor as perguntas. Veja quem está a perguntar, seja breve quando responder com profundidade for desperdício, seja profundo se souber que a sua resposta pode salvar uma vida.

Fique tranquilo,
Se você perguntar eu respondo!
André Luiz

Lisboa, 21/12/12