Céu e Inferno

  Céu e Inferno, tão perto e tão distante, realidade e fantasia, Fé e utopia, coisa de criança, dose alta de maturidade. Um beijo, uma facada, uma certeza dedicada a muitas dúvidas. 
  Quero e não sinto, sinto e não quero, luto e desejo, abraço e disfarço, mato e renasço, durmo e acordo, seus extremos não me abandonam.
  Dizemos bênçãos e sentimos o Céu dentro de nós, cedemos à carne e nossas palavras tornam-se um Inferno para quem nos ouve. Amamos incondicionalmente e o Céu brilha para nós, julgamos e criticamos as pessoas, assim o Inferno logo nos assedia e perturba.

 

Céu e Inferno, assim somos. Mas o que realmente importa é aquilo que Jesus é em nós! Sem Cristo somos toda inconstância que existe, com Ele deixamos de ser e então, Ele é quem passa a existir, fortalecendo-nos, recriando-nos, renovando a nossa mente e nos enchendo de esperança.

Sou Nele e para Ele
André Luiz

  Niterói, 27/04/2014

Vilarejo

 

Através da indicação querida do João Holanda eu ouvi a canção Vilarejo da Marisa Monte. É Linda!

O que me assustou é que nós cristãos falamos do Céu como uma realidade muito distante de nós.

Onde está a nossa Fé? Acaso o poder de uma oração não traria o Céu pra nós?

É que amamos pouco. Não enxergamos quase ninguém além de nós. O diferente da gente está tão longe, que a realidade de um paraíso no presente, se afasta de nós.

Não podemos cruzar os braços. Nossa Fé não pode ser vazia. Creio num Deus que age na História e que me enche de Esperança.

Não diga que não tem mais jeito, ame e traga o céu pra cada vez mais perto.

Quem não ama, já vive um inferno particular.

“Cabe todo mundo lá” – Céu
André Luiz